Protestos contra a Reforma da Previdência marcam sessão especial da Câmara Municipal de Ipirá

O tom foi de revolta contra as medidas previstas na Proposta de Emenda
à Constituição (PEC) 287.

 

 

A sessão especial para debate da Reforma da Previdência, solicitada pelo vereador Deteval Brandão, que aconteceu na Câmara Municipal, em Ipirá (BA), nesta terça-feira (21), ganhou caráter de protesto.
O tom foi de revolta contra as medidas previstas na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287. Muitos oradores acusaram o governo de querer sacrificar os trabalhadores para garantir mais recursos. Entre os principais pontos, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, apresentada pelo governo do presidente Michel Temer, se aprovada, iguala em 65 anos a idade mínima para homens e mulheres se aposentarem, além de aumentar o tempo de contribuição para 49 anos.
Após abertura feita às 10h30, pelo presidente da Câmara, Divanilson Mascarenhas, que salientou a importância do evento, onde considerou a participação da sociedade de grande importância no debate de uma medida marcante na vida de todos, em especial daqueles que com sua força de trabalho participam da construção do país.
Prosseguindo, houve os pronunciamentos de convidados para participar das discursões, dentre eles o advogado Roberto Carigé. Entre as críticas a reforma, Carigé falou que o governo Temer, deveria estar preocupado em combater a sonegação fiscal e a corrupção.
Dando prosseguimento, houve a fala do sociólogo Genelicio Santiago. Santiago frisou que a proposta é imoral, sendo imprescindível um debate amplo com a sociedade.
Loiane Fernandes, representante da APLB Sindicato, disse que o governo Temer, deveria estar preocupado em reduzir as regalias da elite política, a exemplo de presidentes, deputados, senadores, etc. “É hora do povo brasileiro se unir e dar um basta em mais uma página vergonhosa da nossa história”, disse Loiane, finalizando: “Fora Temer”.
Para o sindicalista Valtinei Sampaio, a medida se aprovada, fere princípios constitucionais, que a PEC é uma afronta, um retrocesso vergonhoso que prejudica a classe trabalhadora.
Finalizando, diversos vereadores se pronunciaram, sendo que todos eles protestaram veemente contra as medidas da PEC da Previdência. Onde a maioria analisaram a PEC como um desmanche da Previdência no país.
“Saímos daqui hoje com Repúdio da Câmara, em uma demonstração que estamos contra esta proposta. A intenção é que uma moção seja encaminhada aos deputados eleitos com votos de Ipirá, e outros parlamentares que também foram votados aqui”, disse Laelson Neves.
Para Deteval Brandão, a PEC da Previdência é imoral e vergonhosa, se aprovada será um retrocesso na história de conquistas e lutas do povo brasileiro. “As medidas apresentadas pela PEC 287 desrespeitam a classe trabalhadora, sendo um retrocesso, na medida que retira direitos adquiridos através de lutas e conquistas conseguidas ao longo da história do povo brasileiro”, disse Deteval, finalizando: “Não podemos permitir esse retrocesso”.

 

Por Orlando Santiago Mascarenhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.